ESPADIM, SÍMBOLO MÁXIMO DO CADETE, É ALCANÇADO POR LUCAS MACHADO HEYN
A jornada de Lucas Machado Heyn iniciou em 2007 no Colégio Olimpo Goiânia, quando entrou no 1º ano do Ensino Médio. Lucas jamais se esqueceu do que o Prof. Zé Carlos disse no primeiro dia de aula ao 1º E: "Quem estudar como a escola gostaria que vocês estudassem, não só será aprovado no terceiro ano como poderá escolher várias universidades para entrar". Essas palavras foram estímulo para ele estudar até o terceiro ano, quando, determinado a tornar-se piloto militar, optou em prestar o concurso para a Academia da Força Aérea, para o Curso de Formação de Oficiais Aviadores (CFOAV).

As provas acontecem apenas uma vez por ano e
são compostas de cinco fases:
- Exame de Escolaridade, com provas de Português,
  Inglês, Matemática e Física;
- Inspeção de Saúde (INSPSAU);
- Aptidão Psicológica;
- Teste de Aptidão a Pilotagem Militar;
- Teste Físico (TACF).

Em agosto de 2009 tentou pela primeira vez o exame teórico em Brasília. Ultrapassou a nota mínima necessária (5,0) para ser
aprovado, tirou 6,0, mas devido ao maior número de candidatos acima da média não logrou êxito.

Formou-se no ensino médio em 2009, e em 2010 ainda em busca do sonho, se inscreveu nas específicas de Física e Matemática do Olimpo e na específica de Língua Portuguesa para concursos do Instituto Carlos André. Neste ano estudou a maior parte do tempo em casa. Novamente em agosto, realizou a prova, sob as mesmas condições, porém com um diferencial: em 2009 foram aproximadamente 10.000 inscritos; em 2010, 16.800 para o mesmo número de vagas. Precisava de uma nota maior e o fez, atingiu a média 7,25. Seguiram-se as outras fases, mais ou menos uma por mês, quando no dia 13 de dezembro foi aprovado no TACF e aprovado para o CFOAV.

No dia 19 de janeiro iniciou seu curso. A AFA não é teoricamente uma faculdade, apesar de formar seus alunos nos cursos de Ciências Aeronáuticas e Administração. A AFA é uma academia militar. Logo que entram, os alunos passam por um Estágio de Adaptação, para poderem assumir a patente de Cadete da Aeronáutica. Quando tornam-se cadetes é feita a cerimônia de entrega de platinas, que é o adereço da farda que designa a patente. Porém, o Espadim, símbolo máximo do cadete, só recebem após seis meses de curso, também em uma cerimônia militar. O Espadim é o reconhecimento por terem conseguido alcançar o objetivo de tornarem-se cadetes e honrarem seu Código de Honra: Coragem, Lealdade, Honra, Dever e Pátria.

A AFA também tem algumas peculiaridades: as turmas têm nomes (a turma de 2011 chama-se Cerberus), durante os quatro anos de cursos realizam-se exercícios de campanha, salto de emergência (salto enganchado de paraquedas), sobrevivência na selva e no mar, entre outros. Os cadetes aviadores, como Lucas, ainda realizam 60 horas de voo na aeronave T-25 Universal no segundo ano e 120 horas de voo na aeronave T-27 Tucano no quarto ano. Além do CFOAV, a AFA também possui o Curso de Formação de Oficiais Intendentes e o Curso de Formação de Oficiais de Infantaria.

Muito satisfeito com a realização do seu sonho, conquistado com o apoio da forma educacional do Colégio Olimpo, a respeito do lema "Estudar muito, dormir nunca, esquecer jamais" Lucas diz: “Isso significa que se nós nos dedicarmos ao máximo aos estudos, poderemos viver momentos que ficarão marcados em nossas vidas para sempre, como a aprovação no vestibular, garantia de que com mais um pouco de estudo poderemos viver outros momentos inesquecíveis e assim sucessivamente durante toda nossa vida.”.

Cadete Aviador Lucas Machado Heyn

 

Twitter Facebook Youtube
DF | Goiás | Mato Grosso | Minas | Tocantins | Editora Opirus         
Grupo Olimpo - Todos os direitos reservados.